domingo, 14 de agosto de 2016

CORRA! Com saúde e acompanhamento profissional

Atualmente a corrida de rua é uma das modalidades do atletismo que mais se difunde em números de adeptos no mundo todo. Atualmente, existem milhares de corredores, profissionais e amadores em busca constante pela superação e desafios sem limites fazendo do esporte uma paixão e um vício saudável incurável.
Os benefícios de que a corrida é capaz de proporcionar aos praticantes pode sim mudar sua vida. Através dela, você melhora suas capacidades e condicionamento físico, entra em forma e ainda tem um valor incalculável quando se fala nas questões psicológicas, já que diminui o stress. Você com certeza já passou de carro por várias pessoas correndo, na chuva ou sol, com ar de satisfação e realização e agora é a sua vez de se tornar uma delas. Então, vamos fazer o seguinte: você começa com força de vontade e nós, profissionais de educação física, começamos com dicas e guias para você dar início ao seu treino e nunca mais parar. Está PRONTO?

Preparar, apontar...
Para iniciar qualquer prática de atividade física é necessário e imprescindível uma consulta médica e uma orientação adequada de um profissional de Educação Física. Além dos trâmites profissionais, um bom par de tênis e um monitor cardíaco simplificam as ferramentas da corrida.
Portanto, siga esses primeiros passos:

1 - Avaliação clínica: o médico será responsável por avaliar seu condicionamento físico, taxas de colesterol e triglicérides. Dentre outros, o eletrocardiograma, que investiga arritmia e insuficiência cardíaca.

2 - Ferramentas: saiba escolher o tênis apropriado para corrida o adequando ao tipo da sua pisada, e que seja confortável durante todo seu treinamento e provas. Um bom monitor cardíaco, para que seu treino seja controlado de acordo com a sua frequência cardíaca, SEU TREINO TEM QUE SER EFICIENTE E RESPALDADO COM SEGURANÇA.

TIPOS DE PISADA E INDICAÇÃO DE TÊNIS

PRONAÇÃO: A pronação ou pisada pronada acontece quando há uma rotação interna excessiva do pé e do tornozelo ou seja ela começa do lado externo do calcanhar (às vezes um pouco mais para a parte interna), terminando a passada perto do dedão. Esse tipo causa mais tensão na estrutura do pé, o que pode desalinhar o tornozelo, os joelhos e os quadris provocando desperdício de energia e aumentando o risco de dores na panturrilha e articulações.

Indicações de tênis: Asics Gel Cumulus 13, Nike Vomero, Asics Gel-Nimbus, Adidas Supernova Glide, Mizuno Wave Creation.


SUPINAÇÃO: A supinação ou pisada supinada é o oposto da pronação e revela uma situação em que o pé rola para o lado de fora. Assim as forças durante a pisada não são distribuídas igualmente pelo pé, que possui o arco alto e não tem sua mobilidade afetada. Esta pisada se inicia no calcanhar do lado externo e se mantêm o contato do pé com o solo do lado externo, terminando na base do dedo menor causando concentração nos dedos de fora, o que cria o risco de lesões, principalmente nos joelhos, pés, e nas costas.

Indicação de tênis: Asics Gel Cumulus 13, Nike Vomero, Asics Gel-Nimbus, Adidas Supernova Glide, Mizuno Wave Creation.

NEUTRA: A pisada neutra, como o próprio nome já inspira é o tipo ideal de pisada já que possui um nível de equilíbrio entre a pronação e a supinação proporcionando uma absorção de choque eficiente na fase de apoio da pisada. Essa pisada começa com a parte externa do calcanhar e o pé rotaciona ligeiramente para dentro durante a movimentação, terminando com a parte da frente do pé inteira tocando o solo.

Indicações de tênis: Asics Gel Cumulus 13, Mizuno Wave Creation, Saucony ProGrid Triumph, Nike Vomero, Asics Gel Kayano, Asics GT 2160, Nike Air Pegasus, New Balance 1063.


TESTE DO PÉ MOLHADO
Uma forma “caseira” de identifica o seu tipo de pisada é através do teste do pé molhado:
a) Coloque uma folha de jornal em uma superfície plana no chão
b) Molhe a sola do seu pé direito (em uma bandeja por exemplo)
c) Dê um passo lento sobre a folha de jornal, pisando do calcanhar para os dedos (como se estivesse andando sobre o jornal)
d) Faça o contorno (com uma caneta) da mancha que ficou no papel e compare o desenho resultante com as figuras acima e veja com qual seu pé mais se assemelha.

TIPO DE MONITORES CARDÍACOS
A Frequência cardíaca ou ritmo cardíaco é o número de batimentos cardíacos por unidade de tempo, geralmente expresso em batimentos por minuto (bpm) e deve ser levada em consideração na hora de qualquer treino. Cada pessoa tem sua frequência mínima e máxima e o intervalo entre elas é justamente a chamada Zona Alvo ou Zona de Treinamento. Uma forma prática de acompanhar a frequência cardíaca em exercício é por meio de monitores cardíacos de pulso que auxiliam no controle da intensidade de treinamentos cardiorrespiratórios. Mas antes, procure um profissional para descobrir sua frequência mínima, máxima e zona alvo. Alguns tipos de monitores:



- Monitor Cardíaco New Balance N5 Grafite - calcula o percentual de frequência mínima, média e máxima, além de possuir alarme de zona alvo visual e sonoro. Também conta com registro de gasto calórico, memória e arquivo de 30 treinos com data e hora do exercício. 

- Monitor Cardíaco Speedo 58005g0 - Possui configurações pessoais de monitoramento cardíaco, como zona de alerta, medição e leitura de frequência cardíaca. Também registra o gasto calórico com base em informações como idade, peso, altura, tipo e nível do exercício. 

- Monitor Cardíaco Nike Triax C6 - Tem função de busca de zona alvo personalizada, iluminação a um toque e modo para exibição da pulsação, calorias gastas, zona atual e tempo total do exercício. O monitor é feito de cristal mineral, resistente a riscos.

- Monitor Cardíaco Garmin FR 70 Fem - Monitora frequência cardíaca, gasto calórico e ao final do exercício transfere os dados para seu computador. Conta ainda com GPS e tecnologia sem fio que permite a conexão com outros dispositivos compatíveis, como contador de passos (opcional) ou equipamentos de academia. 

- Monitor Cardíaco Oregon SE332 Zone Trainer 2.0 - O modelo feminino possui tecnologia Eletrocardiográfica (ECG) "strapless", que dispensa a cinta transmissora. Para visualizar os batimentos cardíacos, basta pressionar os dedos indicador e médio sobre o sensor na frente do relógio, que informará a medição em poucos segundos.

ORIENTAÇÃO DE PROFISSIONAIS
Procure profissionais específicos e adequados para o seu objetivo: primeiramente um Médico, depois um profissional de Educação Física, e por último um Nutricionista para assessorar na sua alimentação. A multidisciplinaridade vai ajudá-lo a chegar ao seu objetivo com saúde, segurança e eficácia.

RevistaMensch

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Avaliação física, os benefícios desses exames antes de iniciar uma atividade

Quando nos empenhamos num treinamento, melhoramos nossa alimentação, substituímos hábitos pouco saudáveis e nos dedicamos, notamos que evoluímos em relação ao nosso estágio inicial, mas não conseguimos quantificar a magnitude desta melhora num determinado espaço de tempo. 
Podemos até usar indicadores como a balança ou uma roupa que não cabia e passa a caber, para termos uma ideia do nosso progresso diante da perda de peso corporal, mas só podemos dimensionar estes ganhos através de testes específicos e certificados pela ciência. Este conjunto de testes, aliado a uma entrevista inicial, chamada de anamnese, forma o que chamamos de avaliação física. 

Antes de iniciar qualquer atividade física é importante realizarmos dois tipos de avaliação; uma avaliação médica e em seguida uma avaliação física. Esta última servirá como um norte para prescrição da atividade física escolhida, pois possibilitará que o professor/treinador identifique seus pontos fortes e fracos, além de permitir a comparação dos resultados.

O QUE É AVALIAÇÃO FÍSICA?
É uma ferramenta importante na prescrição de exercícios e na evolução do treinamento, pois através de testes, o avaliador identifica possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, além da composição corporal (peso, porcentagem de gordura), medidas de circunferências (cintura, quadril) e variáveis funcionais como a capacidade aeróbica, anaeróbica, força e flexibilidade, que juntas fornecerão informações importantes para a prescrição e escolha do treinamento. 
ETAPAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA
A avaliação física é de competência do profissional de Educação Física, e deve passar por algumas etapas. Tais como:

Anamnese: é um questionário detalhado dos seus hábitos de vida. Ex: hábitos alimentares, etilismo, doenças na família, cirurgias, dores, medicamentos, alimentação, sono, atividades físicas, etc. 
Histórico Físico: conhecer seu histórico de atividades físicas. Se já pratica/praticou, qual tipo de atividade se identifica mais.
Histórico Clínico: fatores de risco coronariano (tabagismo, hipertensão, sedentarismo, entre outros), cirurgias, etc.
Teste de capacidade cardiorrespiratória: realização de teste de esforço, geralmente submáximo, que consiste em andar/correr (esteira) ou pedalar (bicicleta ergométrica) em esforço crescente com monitoramento da atividade do coração, para descobrir como anda sua aptidão aeróbica.
Testes antropométricos e de composição corporal: levantamento das medidas de peso, estatura, circunferências (abdome e coxas), percentual de gordura corporal e massa magra, realizados através das medidas das dobras cutâneas ou outro aparelho específicos.
Avaliação postural: neste verifica-se subjetivamente, através de observação ou fotografia, desvios da coluna vertebral, ombros, joelhos, pés, vícios posturais, assimetrias e desequilíbrios musculares.
Avaliação neuromotora: são aplicados teste de força, resistência muscular e flexibilidade, quantificando e classificando o avaliado numa escala que vai de muito fraco a excelente. Geralmente, compõem está avaliação:
* Força: num dos testes mais comuns, a força é medida através de um equipamento denominado dinamômetro, que afere a capacidade que o individuo tem de vencer uma determinada resistência.
* Resistência muscular: são feitos através da execução de movimentos repetidos num determinado espaço de tempo. Os mais comuns realizados são com abdominais e flexões de braço.
* Flexibilidade: mede-se a capacidade que o músculo tem de se estender ao máximo. Um dos mais comuns utiliza um equipamento chamado Banco de Wells, que contém marcações em centímetros que qualificam o avaliado quanto à distância alcançada.
ERROS MAIS FREQUENTES
Pensar que a avaliação médica substitui a avaliação física; 
Só fazer a 1º avaliação e depois não reavaliar para comparar os resultados; 
Não realizar uma nova avaliação ao retornar à academia.

DICAS
1 - Não comece uma atividade física sem uma Avaliação Física e sem passar pelo seu médico, eles são de grande importância para minimizar os riscos e melhorar os resultados de um treinamento. 

2 - Faça avaliação física e, periodicamente (entre 3 e 4 meses), uma reavaliação. Desta forma, você sempre saberá se seus objetivos estão sendo alcançados.

3 - A Reavaliação deverá ser realizada para identificação dos resultados. Assim, o profissional analisará se será necessária a mudança do programa de exercícios ou sua manutenção, alterando apenas algumas de suas variáveis.

4 - Procure um profissional de Educação Física habilitado (formado e com registro no CREF), para orientá-lo durante o exercício, bem como para prescrevê-lo.

Enfim, essa “bateria” de testes indicará sua real condição física, detectando os pontos positivos e/ou deficiências a serem trabalhadas. Com ela em mãos o educador físico identificará a melhor atividade e em que intensidade e freqüência seu treinamento deve ser prescrito. Assim, você pode ter certeza que o treinamento estará adaptado à sua realidade, o que minimiza possíveis erros e torna a prescrição mais eficiente e segura.


RevistaMensch

Atleta Mensphysique Matheus Teixeira TOP 3 - Arnold Classic Brasil 2016

Destaque de Fortaleza-Ce, Atleta Mensphysique Matheus Teixeira TOP 3 no Arnold Classic Brasil 2016.
Instagram: @matheusteixeira_

terça-feira, 5 de abril de 2016

Circuito de exercícios para uma barriga chapada


Treino funcional para o abdômen deixa a barriga chapada sem ter que sair de casa. Aprenda a fazer este circuito de exercícios para o abdômen

MinhaVida

segunda-feira, 28 de março de 2016

Buclina: O remédio indicado para engordar, saiba como tomar e os efeitos.

A busca pelo corpo perfeito é, provavelmente, uma das grandes problemáticas da nossa sociedade atualmente. As pessoas que querem se adequar àquele certo padrão estabelecido, seja pela mídia ou por qualquer outro meio de divulgação, esquecem-se das muitas variantes em relação ao biótipo, ao organismo e à saúde, os quais nos diferencia entre as pessoas.

Na grade maioria dos casos, as pessoas querem emagrecer, e, às vezes, apelam para diferentes métodos, assim como para dietas que poderiam causar danos a saúde. Pelo outro lado, várias pessoas sentem dificuldade em engordar, e, da mesma forma, tentam de diferentes formas ganhar peso para chegar próximo ao padrão imposto pela sociedade. As melhores maneiras de alcançar o tão desejado corpo perfeito é através de consultas com o médico e com o nutricionista para que estes estabeleçam uma saída para a dificuldade em engordar, ou em emagrecer.

É possível engordar através de uma alimentação saudável, hipercalórica, somada a exercícios físicos regulares, como a musculação. Além disso, existem estimulantes de apetite que auxiliam no ganho de peso. E é sobre um desses estimulantes que falaremos hoje: o Buclina.

BUCLINA ENGORDA?
Esse medicamento promete aumentar o apetite do usuário, melhorando, assim, a alimentação do mesmo. Quando a pessoa se alimentar melhor, ela, provavelmente, conseguirá um aumento de peso. O medicamento é, normalmente, usado em pessoas com enfermidades, as quais prejudicam o apetite ou emagrecem o paciente. Sua principal característica é um leve efeito hipoglicemiante, ou seja, aumento na produção de insulina pelo pâncreas, com a diminuição da concentração de açúcar no sangue, o que leva o hipotálamo cerebral a produzir a sensação de fome na pessoa. Essa sensação faz com que ocorra a estimulação do apetite, consequentemente fazendo com que a pessoa se alimente mais e melhor.

Na maioria das vezes, o Buclina é prescrito com outros medicamentos, como vitaminas ou remédios com alta composição de minerais, como o Rarical. O Complexo B também é indicado para ser tomado com o Buclina. A melhor maneira de ganhar peso, de forma saudável, quando se alia o uso de medicamentos que aumentam o apetite é a prática de musculação. Este exercício auxiliará o corpo a ganhar um volume maior de massa magra, sem o ganho de gordura, o qual é muito prejudicial à saúde.

EFEITOS COLATERAIS
Como a maioria dos medicamentos, ocorre alguns efeitos colaterais. O mais comum deles é a sonolência, provavelmente provocada pelo efeito hipoglicemiante. Um dos compostos responsáveis por esse efeito é o cloridrato de buclizina, o qual tem ações orexígena (hipoglicemiante) e anti-histamínica (que alivia os sintomas das manifestações alérgicas no corpo). As duas ações citadas anteriormente levam a um leve efeito sedativo no organismo. Além disso, tem efeito antimuscarínico, o qual pode ter ação no sistema parassimpático.
Como tomar Buclina

A posologia desse medicamento, normalmente passada pelos médicos, é de um comprimido meia hora antes do almoço e do jantar. Para crianças, a dosagem é de meio comprimido meia hora antes do almoço e meia hora antes do jantar. Não é aconselhável o uso de Buclina por mulheres grávidas.


Em caso de qualquer enfermidade, o uso de qualquer medicamento, inclusive do Buclina, deve ser prescrito por um médico. Tendo em vista os vários compostos que estão em sua fórmula, somente uma pessoa especialista no assunto poderia prescrever o uso do medicamento. Em caso de superdosagem, é necessário levar o paciente ao hospital. Em caso de uma dosagem muito grande do medicamento, faz-se necessário a lavagem gástrica.

A maneira mais fácil de engordar, caso não exista enfermidade que atrapalhe, é com uma alimentação saudável, moderada, com o auxílio de exercícios diários.

Sempre procure um médico para iniciar qualquer tratamento e faça exames periódicos. 
Se quem já tomou a Buclina quiser deixar seu relato abaixo nos comentários para outros visitantes, nos agradecemos.

TreinoMestre

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Alexey Tronov em off!


País: Russia
Data de nascimento: 1986 
Altura: 175cm/5'9''
Peso em off: 130kg/287lb
Peso em competição: 100kg/220lb


Vamos correr para "secar" nesse verão

Talvez você ainda não tenha percebido, mas um dos esportes que mais cresce no país é a corrida de rua e vários são os fatores que tem levado às pessoas a aderirem tal prática.
A facilidade de acesso ao esporte, praticado em ruas, parques, praias, vias, academias, e por não exigir um alto investimento inicial, são alguns deles. Hoje, não é difícil encontrar propagandas de corridas de 5, 10 e 21 quilômetros e até maratonas (42.195 km), cada vez mais frequentes nos meios de comunicação, sendo esta uma aposta de diversas empresas para divulgação de sua marca, devido ao baixo custo e a associação de sua imagem a uma atividade saudável e de promoção da qualidade de vida. 

É possível afirmar que correr traz inúmeros benefícios (reduções na quantidade de gordura corporal e concentrações de triglicerídeos, LDL e colesterol total, redução da pressão arterial pós-exercício, aumentos de massa magra e óssea, melhora do sono, aumento da autoconfiança e otimismo frente aos desafios, melhora da auto- estima, entre outros), fundamentados em grande quantidade de estudos, mas como toda atividade física, é necessária uma avaliação médica e treinamento adequado para sua realização.

Correr virou moda, afirmam alguns, mas a verdade é que um novo perfil de corredores tem surgido, e a maioria não possui como objetivo maior subir ao pódio e conquistar as diversas premiações oferecidas. Esse novo público corre em busca de saúde, qualidade de vida, diminuição do estresse, socialização e bem estar. Quando existe o desafio, este parece ser pessoal, especificamente, em melhorar seu próprio tempo. Nessa perspectiva, podemos dizer que as grandes corridas se transformaram em eventos de lazer. O problema é que, como citado anteriormente, as distâncias percorridas são longas e não podemos ignorá-las. Correr acima de 5 km exige muito do organismo e pode representar um risco à boa parte dos indivíduos, em especial aos que não seguem as recomendações básicas para inicio de qualquer atividade. 

Antes de sair por ai correndo é imprescindível procurar um médico clínico ou cardiologista para fazer a devida avaliação, que inclui anamnese, exame físico geral e auscultas. Um exame complementar simples como eletrocardiograma é frequente realizado e junto com a consulta, já detectará a maioria dos problemas, doenças e fatores de risco que necessitem de avaliações médicas mais profundas.

Em casos específicos e dependendo da faixa etária, tabagismo, entre outras, o médico poderá solicitar o teste ergométrico, e/ou eco cardiograma e demais que julgar necessário. Um profissional de educação física também é indispensável, pois é a prescrição do treinamento que pode minimizar à alta incidência de lesões desse esporte, que chega a atingir 60% a 90% dos praticantes em dois anos e são geralmente causadas pelo excesso de volume empregado no treinamento (grandes distâncias percorridas), aliado a falta de um programa de fortalecimento muscular e articular que poderia ser feito na musculação, por exemplo.
Uma peça importantíssima são os tênis, definitivamente o mais importante para corredor, e têm de ser escolhidos com cuidado. O primeiro requisito para um tênis de corrida é ter um ajuste confortável e bem almofadadas. Tênis com amortecedores e que permitam os pés transpirarem também são características importantes.

Portanto, seja qual for o seu objetivo com a corrida, seguir estas recomendações lhe proporcionará uma prática mais segura e com riscos diminuídos, para que você desfrute de todos os benefícios físicos e psicológicos desse prazeroso exercício. E ai, vamos correr?

RevistaMensch

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Treinamento funcional com fita para exercícios suspensos



Treinamento funcional suspenso com a fita TRX 

Instruções: realizar 2 a 3 series de 10 repetições. 
Exercício 1: agachamento com remada Musculatura trabalhada: anterior da coxa e dorsal Segure as extremidades do cinto suspenso e com esse apoio faça um agachamento, jogando o quadril para traz e mantendo os braços estendidos. Quando estiver subindo, faça o movimento da remanda utilizando as articulações dos cotovelos e dos ombros. 

Exercício 2: rosca no cinto suspenso Musculatura trabalhada: bíceps Fique em pé, segurando-se às extremidades da fita TRX. Puxe o equipamento, levando as mãos na direção do queixo e deslocando o corpo para frente. 

Exercício 3: supino com afundo alternado Musculatura trabalhada: peitoral, anterior e posterior da coxa De costas para o ponto onde a fita TRX está fixada, segure as extremidades dela, deixando seu corpo em uma posição diagonal. Deslocando uma perna à frente, flexione os braços, levando o peito na linha dos ombros. Intercale as pernas e procure distribuir bem o peso entre braços e pernas. 

Exercício 4: tríceps testa suspenso Musculatura trabalhada: tríceps Segurando-se à fita TRX, mantenha o corpo em posição diagonal com os braços estendidos à frente. Com o abdômen levemente contraído, faça o movimento de flexão e extensão do cotovelo, levando as mãos à testa. Observe se o quadril está acompanhando o resto do corpo. 

Exercício 5: abdominal com as pernas suspensas Musculatura trabalhada: abdômen Apoie as duas mãos no chão e as pernas no cinto suspenso. Posicione-se de forma ereta com as mãos apoiadas no chão e faça o movimento trazendo os dois joelhos na altura do peito. Procure deixar os braços bem estendidos durante a execução


MinhaVida